CORRELAÇÃO ENTRE A CLASSIFICAÇÃO DE AHLBÄCK E FATORES DE RISCO DA GONARTROSE

PAULO ALVIN BORGES, MAURO HENRIQUE JOSE ALMEIDA, LUCAS MOURA ARAUJO, Junji Miller Fukuyama, Fernando Yukio Umada, Miguel Gustavo Luz Arab

Resumo


Objetivo: demonstrar se existe ou não correlação entre os fatores de risco para gonartrose e a classificação radiográfica de Ahlbäck. Métodos: Estudamos pacientes com gonartrose primária assistidos no ambulatório de joelho do Hospital Geral de Vila Penteado em sua consulta de rotina. Foram coletados dados referentes à idade do paciente (anos), Peso do paciente (kg), altura (metros), índice de massa corpórea (IMC= Peso do paciente / altura2), antecedente pessoal de hipertensão ou diabetes mellitus (positivo ou negativo), sedentarismo (se pratica atividade física menos de três vezes por semanas, 30 minutos por sessão), demanda funcional (quantas quadras caminha semanalmente), tempo do início dos sintomas (em anos) e lateralidade ou bilateralidade. Os dados foram correlacionados com a classificação de Ahlbäck aplicada `as radiografias realizadas no momento da consulta. Resultados: Uma amostra de 108 pacientes foi estudada. Resultados: Não encontramos associação entre a classificação de Ahlbäck com idade do paciente, tabagismo, sedentarismo, lateralidade, quantidade de quadras percorridas por semana, diabetes mellitus, e sexo do paciente; porém apresenta associação positiva com pacientes hipertensos e correlação fraca com Altura e Peso do paciente e correlação moderada com IMC. Conclusão: A classificação de Ahlbäck não apresenta relação com a maioria dos fatores de risco para gonartrose primária.

Nível de evidência III: estudo caso-controle

Descritores: Artropatias; Interpretação de Imagem Radiográfica Assistida por Computador; Joelho



Atha Comunicação e Editora Ltda Rua Machado Bittencourt, 190 conj. 410 CEP: 04044-903 Vila Clementino Tel.: 5579-5308/ 5087-9502