ESTÉTICA E ENGENHARIA: PARA ALÉM DA RACIONALIDADE TECNOLÓGICA

Levi Fernandes Leonido, João Bartolomeu Rodrigues, Elsa Gabriel Morgado, Adriana Santos Auzani

Resumo


O objetivo deste artigo é apreender a racionalidade tecnológica no contexto da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Única no país com esta denominação, ela tem a maioria dos seus cursos voltados para a formação de engenheiros no Brasil. No âmbito dessa formação, incluímos o estudo da estética, como discussão alternativa, por entendê-la significativa na formação social do sujeito enquanto dimensão emancipatória gerada no movimento de criação e de inovação tecnológica e que hoje é deixada em segundo plano nesse contexto. Este artigo constituiu-se a partir da revisão das ideias de Marcuse, Adorno, Habermas e Horkheimer, Rancière, os quais abordam a presente temática sob a perspetiva da autonomia do sujeito em oposição às interpretações normativas e tecnocráticas da sociedade.

Palavras-chave


: Universidade pública, Educação tecnológica, arte, estética, teatro, engenharia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP. Classificação "Qualis - A1"