A ocorrência de compensação trabalhista antes da cirurgia é associada com piores resultados clínicos após artrodese lombar

Luis Marchi, Joes Nogueira-Neto, Vivian Amaral, Rodrigo Amaral, Nicholai Faulhaber, Etevaldo Coutinho, Leonardo Oliveira, Rubens Jensen, Luiz Pimenta

Resumo


Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar a associação de resultados clínicos com a situação pré-operatória de compensação trabalhista (CT) em pacientes submetidos a cirurgia de coluna. Métodos: A metodologia utilizada foi retrospectiva, comparativa, de único centro. Pacientes que passaram por artrodese da coluna lombar foram incluídos. Os desfechos clínicos foram escores de dor (EVA), restrição física (ODI) e qualidade de vida (EQ-5D). Os desfechos foram analisados antes da cirurgia e após a cirurgia (mínimo 6 e máximo 12 meses de seguimento). Dois grupos foram comparados: indivíduos sem CT ou com CT no acompanhamento pré-operatório. Resultados: No total foram analisados 132 casos (média de idade 54 anos e 51% do gênero feminino), sendo 29 (22%) no grupo com CT. Os grupos se mostraram pareados quanto a idade, gênero e nível de depressão pré-operatória. No pré-operatório os grupos se mostraram iguais quanto a dor e restrição física, porém com o grupo CT apresentava qualidade de vida mais pobre (p=0,05). Apesar de os dois grupos terem mostrado melhora nos desfechos clínicos após a cirurgia (p<0,05), observou-se piores escores para o grupo CT comparado com grupo sem CT, respectivamente: EVA 4,9 vs 3,2 (p=0,02), ODI 34,7 vs 23,4 (p=0,002) e EQ-5D 0,56 vs 0,75 (p=0,01). Conclusão: No presente trabalho foi possível observar que a CT está ligada a piores resultados clínicos após tratamento cirúrgico eletivo da coluna lombar.


Palavras-chave


coluna vertebral/cirurgia; condições de trabalho; qualidade de vida; trabalho; artrodese; fusão vertebral; psicologia social