Retorno ao trabalho após fratura cirúrgica de coluna: uma análise dos fatores preditivos

Guilherme Schlusaz Morais

Resumo


Objetivo: Avaliar retrospectivamente fatores que influenciaram o retorno ao trabalho de pacientes em idade economicamente ativa submetidos a cirurgias por fratura de coluna. Metodologia: Foram selecionados pacientes com idade entre 18 e 65 anos submetidos a cirurgia pós fratura de coluna no ano de 2012 e 2014. Através de questionário específico e revisão dos prontuários identificamos fatores que podem ter influenciado o retorno laboral destes pacientes. Resultados: Foram alocados inicialmente 114 pacientes. Após aplicação dos critérios de inclusão, restaram 51 pacientes. Idade, escolaridade, tempo para sentar no leito e dor residual foram os fatores que influenciaram todos os desfechos. Outras variáveis como ISS (injury severity score), segmento da coluna, número de vértebras acometidas, lesões associadas, regime de emprego prévio não tiveram influência. Conclusões: A taxa de retorno ao trabalho após ser submetido a cirurgia devido a uma fratura de coluna tem relação com a idade, escolaridade, dor residual, tempo de internamento e com o tempo que o paciente demora para conseguir sentar sozinho no pós-operatório. A fisioterapia influencia positivamente na auto-avaliação do paciente com relação a sua capacidade de realizar suas tarefas básicas. Essas variáveis podem ser usadas para identificar uma potencial dificuldade na realocação desses pacientes no mercado de trabalho.


Palavras-chave


Coluna vertebral; fraturas da coluna vertebral; Traumatismos da coluna vertebral; Resultado de tratamento; Readaptação ao emprego; reabilitação; atividades cotidianas