COMPLICAÇÕES MECÂNICAS E PERDA DE CORREÇÃO EM OSTEOTOMIAS DAS 3 COLUNAS PARA CORREÇÃO DE DESEQUILÍBRIO SAGITAL

Samuel Bamberg Pydd, Marcelo Simoni Simões, Ernani Vianna Abreu

Resumo


Objetivos: Observar o grau de correção e a evolução pós-operatória dos parâmetros espinopélvicos em pacientes com desequilíbrio sagital submetidos à osteotomias das 3 colunas.

Materiais e métodos: Análise retrospectiva de 20 casos consecutivos de osteotomias das 3 colunas em pacientes com desequilíbrio sagital óbvio e seguimento mínimo de um ano, computando evolução dos dados radiológicos em função do tempo, complicações e reintervenções. Os pacientes foram classificados em subgrupos conforme as medidas espinopélvicas pré-operatórias e complicações apresentadas. As variações das medidas no mesmo paciente foram avaliadas com o Teste de Wilcoxon, as variáveis quantitativas com o teste de Spearman, as categóricas com o Teste Exato de Fischer e as diferenças entre grupos com os Testes de Kruskal Wallis e Mann-Whitney.

Resultados: Com a cirurgia houve melhora significativa de todos os parâmetros sagitais, mas a correção ideal foi conseguida em apenas 55% dos casos e mantida até o fim do seguimento em 40%. Não foi demonstrada correlação significativa entre obtenção de correção ideal e qualquer dado ou medida pré-operatória. Complicações clínicas e infecciosas não impactaram a manutenção da correção. A complicação mecânica mais comum foi a fratura de haste relacionada com pseudoartose no local da osteotomia (30%), seguida pelas falhas no nível inferior da fixação (15%). Não houve diferença significativa na manutenção da correção entre os grupos sem complicações mecânicas e com complicações mecânicas tratadas. Nos casos de complicações mecânicas não tratadas houve piora radiológica significativamente maior (p<0,05) nos parâmetros de manutenção da correção da curva (perda de 27,5 ± 14,39˚ contra 3,69 ± 3,68˚) e aumento da Versão Pélvica (PT) (aumento de 12,25 ± 7,27˚ contra 1,13 ± 1,93˚).

Conclusão: A correção perfeita foi obtida em 55% dos casos e a perda significativa de correção ocorreu apenas nos casos de complicações mecânicas não tratadas.

Descritores: Coluna vertebral, Osteotomia, Complicações, Desequilíbrio sagital.


Palavras-chave


Coluna vertebral; Osteotomia; Complicações; Desequilíbrio sagital.