Estudo tomográfico da técnica do parafuso de S2-Alar-Ilíaco em mulheres brasileiras

Thiego Pedro Freitas Araújo, Diego Ubrig Munhoz, João Paz Vaz de Souza, Mauro Costa Morais Tavares, Raphael Martus Marcon, Alexandre Fogaça Cristante, Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho, Olavo Letaif Birathi

Resumo


A fixação lombossacra apresenta problemas na sua artrodese, devido principalmente à pseudoartrose. Os parafusos de ilíaco resolvem esse problema contudo mostram problemas na ferida operatória. Já o parafuso de S2-Alar-Ilíaco (S2AI) apresenta menor índice dessas complicações. As diferenças anatômicas entre as populações e os sexos analisados na literatura justificam o estudo da técnica de parafuso de S2AI em mulheres brasileiras. Foram analisadas 14 tomografias de mulheres adultas por 4 avaliadores. O comprimento ósseo médio foi de 131,8 mm, maior diâmetro ósseo foi de 22,6 mm, o menor diâmetro ósseo de 22,6 mm. Os dados apresentados são compatíveis com a literatura e podem ajudar os cirurgiões de coluna na escolha do melhor implante e na técnica cirúrgica.

Palavras-chave


Parafuso de S2AI , Deformidade em coluna, cirurgia de coluna