ESCOLIOSE IDIOPÁTICA DO ADOLESCENTE E SIMILARES: Nova ferramenta para mensuração global do plano coronal

Enguer Beraldo Garcia

Resumo


Objetivo: Criar um método para mensurar o plano coronal global da coluna vertebral, denominado Ângulo Sacro Clavicular (ASC). Métodos: Executa-se uma linha na base do sacro, faz-se uma segunda linha central perpendicular a primeira na extensão proximal da coluna. Executa-se uma terceira linha passando nos pontos de encontro superiores das clavículas com as duas segundas costelas, formando dois ângulos, mensura-se o maior, portanto os graus excedentes aos 90º é o valor do ASC. Testou-se essa ferramenta estudando retrospectivamente 46 pacientes portadores de escoliose idiopática, que se submeteram às fixações curtas, apicais, únicas ou múltiplas. Usou-se instrumental 3ª geração, avaliando o ASC no pré e pós operatório, os quis foram comparados com outro grupo de 46 pacientes abordados com a técnica tradicional. Resultado: Os pacientes pertencentes ao método de fixação tradicional apresentaram uma mediana de 3,0° referente ao ASC no pré-operatório, no pós-operatório a mediana manteve-se em 3°, portanto redução de 0%. Os pacientes pertencentes ao método de fixação curta, apical, única ou múltipla apresentaram no pré-operatório a mediana de 6°, no pós-operatório de 1°, redução de aproximadamente 83% no pós-operatório. Conclusão: Essa “nova ferramenta” para mensurar o ASC, nos possibilitou a quantificar matematicamente o equilibro do plano coronal da coluna vertebral. O grupo abordado com instrumentação curta, apical, única ou múltipla, apresentou uma redução de aproximadamente 83% no pós-operatório em relação ao pré-operatório. Pelo que foi confirmado no teste bioestatístico, essa diferença entre o pré e o pós-operatório foi considerada estatisticamente significativa.