O Aborto como direito e aborto como crime: o retrocesso neoconservador

Lia Zanotta Machado

Resumo


Resumo: O artigo analisa o confronto político entre as argumentações feministas e as fundamentalistas sobre o aborto, no Brasil dos anos dois mil. As forças neoconservadoras colocam em risco o princípio da laicidade em nome de uma “maioria religiosa”. Ora explicitam argumentos religiosos ora distorcem narrativas científicas, jurídicas e de direitos humanos. O “direito do concepto” é considerado absoluto, pecado e crime em qualquer circunstância. Contrárias a uma ética plural de reconhecimento da diversidade, as forças neoconservadoras buscam a imposição moral religiosa sobre as mulheres como não sujeitos de direitos.

Palavras-chave


Aborto, crime e pecado ; Aborto e direitos; Religião e Política; Estado, laicidade e secularismo; Fundamentalismo religioso; Feminismo e Direitos Reprodutivos.



Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu/Unicamp
Universidade Estadual de Campinas
Cidade Universitária "Zeferino Vaz"
13083-970 Campinas - SP
Tel.: (55 XX 19) 3521 7873/3521 1703
Fax: (55 XX 19) 3521 1704
pagu@unicamp.br cadpagu@unicamp.br