TROCAS GASOSAS DE BANANEIRAS TIPO PRATA CULTIVADAS EM DIFERENTES SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO

Alessandro Arantes, Sérgio Luiz Rodrigues Donato, Dalmo Lopes de Siqueira, Eugênio Ferreira Coelho

Resumo


Objetivou-se avaliar bananeiras tipo Prata cultivadas em diferentes sistemas de irrigação. Utilizaram-se 72 tratamentos, em esquema fatorial 3x2x12, com três sistemas de irrigação (aspersão convencional subcopa, microaspersão e gotejamento), duas cultivares (‘Prata-Anã’ e BRS Platina) e 12 épocas de avaliação (meses), dispostos em um delineamento inteiramente casualizado, com cinco repetições. Foram avaliadas características fitotécnicas e fisiológicas no terceiro ciclo de produção em cinco horários de leitura em cada época. Não foram observadas interações significativas entre os sistemas de irrigação e cultivares. Todas as características variaram entre sistemas de irrigação, exceto a produtividade. As bananeiras apresentam maior vigor e maior número de pencas quando cultivadas sob microaspersão e aspersão, independentemente da cultivar utilizada. ‘Prata-Anã’ apresenta maior área foliar e número de pencas, independentemente do sistema utilizado. Bananeiras irrigadas por gotejamento expressam maior temperatura foliar, maior taxa de transpiração e menor eficiência instantânea de uso da água. Irrigadas com microaspersão apresentam maior eficiência do uso da água. A transpiração aumenta linearmente com o aumento da temperatura foliar, enquanto que a eficiência instantânea do uso da água decresce linearmente.



© 2013 Associaçao Brasileira de Engenharia Agrícola Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane, km 5 FCAV/UNESP - Departamento de Engenharia Rural 14884.900 - Jaboticabal - SP Tel./Fax.: +55 16 3203 3341