BIODIGESTÃO E CO-DIGESTÃO ANAERÓBIAS DE CAMA DE FRANGOS COM ÁGUA RESIDUARIA DE SUINOCULTURA

Donizete José Vicente Jr, Dercio Ceri Pereira, Francielly Torres dos Santos, Luiz Antônio Mendonça Costa, Mônica Sarolli Silva de Mendonça Costa

Resumo


Considerando o constante aumento da geração de resíduos oriundos da criação de aves e suínos em confinamento, as principais contribuições deste trabalho foram verificar o potencial de produção de biogás por meio da biodigestão e a co-digestão anaeróbia dos resíduos gerados por estas atividades, assim como analisar a eficiência do tratamento por meio da qualidade do biofertilizante obtido. Os resíduos utilizados foram camas de frango após seis, sete e oito lotes de produção, além de água residuária da suinocultura (ARS) peneirada, proveniente de unidade produtora de leitões. Observaram-se maiores produções de biogás (p<0,05) nos tratamentos em que se empregou a co-digestão anaeróbia com ARS: 0,179; 0,158 e 0,117 m3 por kg de ST adicionados, para as camas de frango com seis, sete e oito lotes respectivamente. Quanto à redução de DQO, as maiores reduções (p<0,05) foram observadas aos 55 dias: 45,83; 67,49 e 29,45%, respectivamente para as camas de seis, sete e oito lotes. Não foram observados coliformes totais e termotolerantes no biofertilizante, Concluiu-se que a co-digestão anaeróbia entre água residuária de suinocultura peneirada e cama de frango com seis, sete ou oito lotes, com tempo de retenção hidráulica de 55 dias, é a melhor opção para a reciclagem energética e de nutrientes.

Palavras-chave


agroindústria, biofertilizante, biogás, tratamento de resíduos



© 2013 Associaçao Brasileira de Engenharia Agrícola Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane, km 5 FCAV/UNESP - Departamento de Engenharia Rural 14884.900 - Jaboticabal - SP Tel./Fax.: +55 16 3203 3341