Divisa-chave, elasticidade, liquidez internacional e autonomia de política econômica no Sistema Monetário Internacional

Adriano Vilela Sampaio, Maurício Andrade Weiss

Resumo


A autonomia de política econômica dos países no sistema monetário internacional (SMI) foi uma preocupação fundamental de Keynes nos acordos que deram origem ao regime de Bretton Woods e ainda é objeto de grande interesse na economia internacional. Neste artigo é feita uma análise entre a autonomia de política econômica e um dos componentes do SMI, a divisa-chave. Mais especificamente, buscou-se analisar dois elementos relacionados à divisa-chave, quais sejam, a elasticidade do sistema e a liquidez internacional. É defendido aqui que um sistema mais elástico e em que a liquidez internacional não seja restringida, seria possível reduzir a assimetria entre os países de moeda conversível e inconversível. Para isso é fundamental que tais variáveis (elasticidade e liquidez) sejam passíveis de serem administradas por instituições internacionais ou por mecanismos de cooperação. Ademais, tratou-se das implicações políticas advindas de sistemas em que os países tenham maior ou menor autonomia.



Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas
Rua Pitágoras, s/n. CP 6135.
13083-857 - Campinas - SP - Brasil
Tel.: +55 19 3521-5726
Fax: +55 19 3521-0120