Políticas de inclusão social no ensino superior brasileiro: um estudo sobre o perfil de universitários nos anos 2000.

Anandra santos Ribeiro de Oliveira, Ivair Ramos Silva

Resumo


Ao longo dos anos, o ensino superior brasileiro vem se caracterizando como excludente.  Para combater essa realidade, várias foram as ações de ampliação de acessibilidade adotadas pelo Governo Federal, possibilitando que a população historicamente excluída pudesse também passar a frequentá-lo. Esse artigo propõe, portanto, investigar o perfil de alunos entrantes no nível superior, após a implantação desses programas de inclusão social. Para isso, analisaram-se as características socioeconômicas de universitários brasileiros dos anos de 2010, 2011 e 2012, a partir dos microdados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Para análise dos dados foram utilizadas técnicas de análise descritiva e métodos estatísticos multivariados. Percebeu-se uma maior inserção de alunos de classes sociais menos favorecidas após a criação dos programas de inclusão social no ensino superior. No entanto, verifica-se, ainda, a presença de alguns marcadores de que a democratização ainda está em vias de construção.


Palavras-chave


ensino superior; democratização do ensino superior; políticas de inclusão social no ensino superior.