Aprendendo a ser afetado. Contribuições para a educação em ciências na educação infantil.

Francisco Ângelo Coutinho, Maria Inês Mafra Goulart, Alexandre Fagundes Pereira

Resumo


O vínculo entre educação científica e educação infantil tem se constituído de modo tímido. Isso porque, muitas vezes, pensa-se que a maneira como a criança pequena interroga e investiga o mundo à sua volta não é apropriada. Aqui, no entanto, fazendo uso da teoria ator-rede e de sua concepção de aprendizagem, analisamos um episódio no qual crianças de 4 e 5 anos estavam engajadas na exploração de pistas deixadas em um jardim de uma Unidade Municipal de Educação Infantil. Nossos achados indicam que as crianças participam ativamente de atividades investigativas e aprendem a ser afetadas pelos elementos constitutivos do espaço designado para a exploração. Ainda, as crianças foram capazes de transformar os objetos tecnológicos disponibilizados em instrumentos científicos. Nossa análise foi possível por romper com uma concepção de aprendizagem como apropriação conceitual.

Palavras-chave


Educação infantil; aprendizagem de ciências; teoria ator-rede; afecção