Docência, experiência intelectual, formação: Theodor W. Adorno como professor

Franciele Bete Petry, Alexandre Fernandez Vaz

Resumo


A obra de Theodor W. Adorno pode ser lida como uma busca pela transformação social que, entre outros elementos, requer o pensamento crítico. Neste sentido, a educação compõe os esforços de superação da semiformação e dos limites que indústria cultural impõe à experiência intelectual e estética, engajando-se na batalha política de não-repetição da barbárie, na luta contra o totalitarismo e a dominação social. Considerando que a educação em Adorno exige pensar seriamente sobre a tarefa dos professores, o presente artigo analisa a educação como prática política em alguns de seus seminários. Adorno executou sua filosofia não apenas em seus escritos e discursos, por isso, mas em sua prática docente. Em suas aulas, o exercício filosófico e a análise e aplicação dos conceitos mostram-se tão importantes quanto a discussão de ideias, quando forma e conteúdo se mostram inseparáveis.


Palavras-chave


Teoria Crítica; Formação; Adorno; Ensino de Filosofia