Crenças de professores sobre reprovação escolar

Vanda Mendes Ribeiro, Paula Reis Kasmirski, Antônio Augusto Gomes Batista, Márcia Aparecida Jacomini, Joana Buarque Gusmão, Marcel Crahay

Resumo


Este artigo analisa crenças de professores da educação básica sobre reprovação escolar. Para tanto, discute possíveis relações entre crenças sobre reprovação, crenças acerca de princípios de justiça e avaliação e o conhecimento de professores a respeito de resultados de pesquisas sobre efeitos da reprovação. Explicita características do perfil dos professores que podem influenciar sua adesão à reprovação. A relação entre as crenças e entre estas e o conhecimento de pesquisas foi analisada por meio de correlação e a identificação das características associadas à adesão e à reprovação foi feita com análise de regressão. Conclui-se que professores que aderem à reprovação tendem a aderir ao princípio de justiça meritocrático e à avaliação normativa. Ter maior tempo de experiência docente, não lecionar nos anos iniciais do ensino fundamental, maior conhecimento de pesquisas sobre o tema e mestrado e doutorado caracterizam os professores que concordam menos com a reprovação.

Palavras-chave


Política Educacional; Reprovação; Justiça na escola; Desigualdade escolar; Formação de professores