Políticas Editoriais

Foco e Escopo

Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea é uma publicação quadrimestral do Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea, da Pós-Graduação em Literatura da Universidade de Brasí­lia. A revista tem o compromisso de fomentar o debate crí­tico sobre a literatura contemporânea produzida no Brasil, em suas diferentes manifestações, a partir dos mais diversos enfoques teóricos e metodológicos, com abertura para o diálogo com outras literaturas e outras expressões artí­sticas.

 

Políticas de Seção

Seção Temática

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Seção Tema Livre

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Entrevistas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Informativos

Não verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

Todos os textos, sem exceção, serão avaliados por pareceristas, mantido o anonimato mútuo.

 

Periodicidade

Periodicidade quadrimestral.

 

Política de Acesso Livre

Este periódico oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Arquivamento

Este periódico utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes do periódico para a preservação e restauração. Saiba mais...

 

Conselho editorial

Ângela Maria Dias (Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, Brasil)
Carmen Villarino Pardo (Universidade de Santiago de Compostela, Santiago de Compostela, Galiza)
Claire Williams (St. Peter's College, Universidade de Oxford, Oxford, Inglaterra)
Gabriel Albuquerque (Universidade Federal do Amazonas, Manaus, Brasil)
Iumna Maria Simon (Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil)
Ivete Walty (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil)
Jaime Ginzburg (Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil)
José Leonardo Tonus (Universidade Paris-Sorbonne, Paris, França)
Luciene Azevedo (Universidade Federal da Bahia, Salvador, Brasil)
Luis Alberto Brandão (Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil)
Marcel Vejmelka (Universidade Johannes Gutenberg de Mainz, Mainz, Alemanha)
Márcio Seligmann-Silva (Universidade de Campinas, Campinas, Brasil)
Maria Zilda Ferreira Cury (Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil)
Rita Terezinha Schmidt (Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil)
Ricardo Barberena (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil)
Roberto Vecchi (Universidade de Bolonha, Bolonha, Itália)
Rodolfo A. Franconi (Dartmouth College, Hannover, NH, Estados Unidos)
Sara Brandellero (Universidade de Leiden, Leiden, Holanda)
Sophia Beal (Universidade de Minnesota, Minneapolis, Estados Unidos)
Stefania Chiarelli (Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, Brasil)
Tânia Pellegrini (Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, Brasil)
Vinicius Mariano de Carvalho (King's Brazil Institute, King's College London, Londres, Inglaterra)
Virgínia Maria Vasconcelos Leal (Universidade de Brasília, Brasília, Brasil)

 

Chamadas

Chamada para artigos

Revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea

Publicada pelo Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea da Universidade de Brasília, a revista tem o compromisso de fomentar o debate crítico sobre a literatura contemporânea produzida no Brasil, em suas diferentes manifestações, a partir dos mais diversos enfoques teóricos e metodológicos, com abertura para o diálogo com outras literaturas, em especial da América Latina.

 

Revista n. 58 (set./dez. 2019).

O número 58 trará uma seção temática sobre Novas poéticas da migrância

Se desde meados do século XIX a imigração constitui um dos elementos centrais da história e produção artística nacionais, nos últimos anos ela voltou a se tornar uma questão sobretudo política, jurídica, social e econômica. Para além das radicalizações xenófobas decorrentes de um discurso discriminatório, a atual crise dos refugiados e migrantes tem conduzido a um engajamento cada vez maior por parte da cena artística mundial e brasileira. Performances, exposições, filmes, documentários, peças de teatros, álbuns de quadrinhos multiplicam-se pelo mundo investindo o simbólico para buscar a alterização do nosso olhar sobre uma questão cuja crueldade diária e corriqueira passamos a nos habituar. Neste número, a revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea dedicará uma seção especial às reflexões sobre a presença e a invisibilidade dos novos migrantes e refugiados (econômicos, políticos, climáticos ou relacionados à orientação sexual e à identidade de gênero) no cenário literário e artístico nacional. Serão selecionados artigos dedicados a pensar as transformações das modalidades de representação da migrância na literatura, suas relações com outras linguagens artísticas, bem como novas diretrizes epistemológicas sobre esta questão (exiliância, refúgio, espera, consideração, hospitalidade etc.)

Dossiê proposto por Leonardo Tonus (Sorbonne Université).

O prazo final para o envio de artigos para esta seção temática é 28 de fevereiro de 2019.


Revista 59 (jan./abr. 2020)

Seção temática: Literatura além do livro

A atual crise que se instalou no Brasil evidenciou as fragilidades do projeto de inclusão social, econômica e política  encenado na arena pública do país ao longo dos últimos 15 anos. Nesse contexto, novas iniciativas buscam experimentar o espaço literário fora de seus próprios limites. A cultura livresca vem sendo aos poucos transformada, diante do surgimento de uma produção cultural robusta e diversificada, que dinamizou e reinterpretou de várias formas o status do literário. Fazem parte desse fenômeno a aparição de saraus e slams, a projeção do graffiti, a ampliação da literatura digital entre outras formas de expressão. Considerando a pertinência de refletir sobre a cultura como um espaço de garantia de direitos e de formação de  cidadãos, este dossiê propõe a discussão sobre o estado da arte desta produção e as propostas críticas acerca de sua realização, que têm surgido tanto no Brasil quanto no exterior.  Sob uma perspectiva histórica e transnacional, espera-se promover um debate sobre as especificidades da produção cultural além do livro em um momento crítico de sua existência. 

Dossiê proposto por Marguerite Itamar Harrison (Smith College) e Diego Bustos (University of New Mexico).

O prazo final para o envio de artigos para a seção temática do nº 59 é 30 de abril de 2019.


A revista também recebe colaborações em fluxo contínuo para a seção de tema livre, onde são publicados artigos de diversas abordagens sobre a literatura brasileira contemporânea.

Resenhas

Há ainda espaço para resenhas de obras de ficção, poesia, crítica literária e teoria literária publicadas nos últimos 24 meses.

As colaborações para a seção de tema livre e de resenhas são recebidas em fluxo contínuo.

As normas para publicação estão disponíveis em: https://goo.gl/PxGj4b  

As colaborações serão recebidas pelo sistema da revista. Para enviar seu texto, acesse o sistema de Submissões: https://goo.gl/kPHVuh

Para outras informações, escreva para revistaestudos@gmail.com 

 

Diretrizes éticas de publicação

A revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea tem o compromisso de se manter alinhada com as diretrizes estipuladas pela Comissão de Integridade na Atividade Científica do CNPq (http://www.cnpq.br/web/guest/diretrizes) e as recomendações de ética em publicação para autores, editores e avaliadores do Committee on Publication Ethics – COPE (http://publicationethics.org/).

Os editores investirão esforços na prevenção de más-práticas e comportamentos antiéticos na publicação de artigos, não tolerando qualquer tipo de plágio.  

 

  1. Ao submeterem artigos à revista, os autores declaram automaticamente que os conteúdos dos artigos são originais e inéditos. Declaram, ainda, que o artigo não foi publicado, completo ou incompleto, em outro periódico, ainda que em outra língua, nem foi submetido a outro periódico simultaneamente. Além disso, comprometem-se também a informar à revista quando detectarem algum erro ou imprecisão em seu trabalho (publicado, em avaliação ou em editoração) e a colaborar com os editores para que seja feita a devida retratação ou correção do artigo.   
  2. Os editores e pareceristas comprometem-se a avaliar os trabalhos submetidos à revista de forma objetiva e por seu conteúdo intelectual, sem discriminação de raça, gênero, orientação sexual, religião, origem geográfica ou pensamento político. Comprometem-se também a tratar de forma confidencial as colaborações dos autores enquanto estiverem sob avaliação e caso o trabalho seja recusado.  Os trabalhos serão objeto de avaliação ou discussão com terceiros unicamente por autorização dos editores da revista.
  3. Quando os avaliadores identificarem que o trabalho submetido apresenta conteúdo relevante publicado anteriormente – pelo autor ou por terceiros, quer sejam afirmações, argumentos ou reprodução de trechos –, devem informar diretamente aos editores e os autores deverão providenciar que tais conteúdos venham sempre acompanhados da respectiva remissiva bibliográfica, indicando sua origem. Da mesma forma, quando houver semelhança substancial ou indício de que o artigo em avaliação já tenha sido publicado em outro meio, os avaliadores devem alertar os editores de que o artigo fere os princípios éticos da revista.
  4. Quaisquer desvios e outros casos não previstos nessa declaração devem ser informados à editora-chefe da revista, que tomará as providências cabíveis para sanar o problema apresentado.

 

 

Diretrizes de avaliação

As colaborações submetidas são avaliadas, primeiramente, quanto ao seu caráter científico e seu alinhamento em relação às diretrizes aos autores, ao foco e ao escopo da revista. Caso seja verificada a pertinência, a avaliação prossegue sob responsabilidade dos editores de seção, no sistema de revisão por pares duplo-cego, a cargo dos pareceristas ad hoc – especialistas designados em função do tema do artigo –, e considera, primordialmente, os seguintes aspectos:

  • importância do problema
  • contribuição aos estudos da área
  • atualidade do tema
  • originalidade do conteúdo
  • domínio do contexto da discussão
  • fundamentação teórica
  • clareza de objetivos
  • coerência e pertinência da argumentação
  • estrutura e organização do texto
  • linguagem e qualidade da redação
  • relação entre o resumo e o artigo
  • adequação de palavras-chave
  • consistência da bibliografia utilizada
  • atualidade da bibliografia utilizada

 

Os editores de seção, a partir das considerações feitas pelos pareceristas (no mínimo dois), verificam a fidelidade do parecer em relação ao artigo proposto e encaminham o resultado dessa avaliação à Comissão Editorial para avaliação final. Por fim, a Comissão Editorial, composta pelos editores, a editora-chefe e os organizadores - no caso dos dossiês temáticos - delibera a respeito da publicação do artigo. O resultado final da avaliação do artigo poderá ser: aprovar, aprovar com ajustes, requer revisão para reavaliação/ressumbissão ou rejeitar. 

O processo de avaliação até a decisão final quanto à publicação dura em média 6 (seis) meses, a depender do volume de artigos em avaliação e da disponibilidade de pareceristas.

 

Taxa de Processamento de Artigos

Esta revista não cobra qualquer tipo de taxa dos autores para submissão e processamento de manuscritos.