MASSIFICAR E NÃO POPULARIZAR: O EXCESSO QUE OPRIME

Kleber Vieira Pina

Resumo


O artigo pretende explorar um processo de exclusão que surge, paradoxalmente, graças ao modelo de expansão da educação superior adotado pelo Estado brasileiro. Por meio de análises realizadas acerca do crescimento histórico do número de matrículas e composição do sistema de educação brasileiro, bem como da literatura que aborda o tema da exclusão social e opressão, propõe-se que as políticas nacionais pautadas pelo estímulo a iniciativa privada tem mantido, e não reduzido como se divulga, a distância entre a elite nacional e as camadas mais baixas da sociedade. Argumenta-se que um modelo de oferta capaz de promover a cidadania e reduzir as desigualdades não pode se pautar pelas leis do mercado, já que estas, por sua própria natureza, tendem a formação de clubes que estimulam a concorrência entre indivíduos e que são incapazes de promover a plena erradicação de diferenças sociais.



EDUCAÇÃO & SOCIEDADE: revista de Ciências da Educação
Av. Berttrand Russel n°801 - Fac. de Educação - Anexo II 1° andar - sala 2 - Campinas, SP, Brasil - Cep. 13083 - 865, Fone/fax: + 55 19 3521-6710/6708 cedeseditoria@zeppelini.com.br