Memória social e individualização na trajetória de atores engajados em projetos de educação patrimonial

Rodrigo Manoel Dias da Silva

Resumo


Assumindo a hipótese de Joel Candau acerca da vigência hodierna de processos de individualização e fragmentação das memórias sociais, o presente artigo visa analisar as correspondências entre memória social e individualização na trajetória de atores sociais engajados em projetos de educação patrimonial no Brasil. Para tal, mobiliza duas estratégias analíticas. Na primeira, visa sumariar os principais contornos dos processos de individualização na Modernidade e suas dimensões institucionais, sob inspiração da abordagem sociológica de Ulrich Beck. Na segunda, a partir de estudo empírico, objetiva analisar a trajetória de um ator envolvido em práticas de educação patrimonial, a fim de examinar a composição das pautas de suas proposições políticas e a suposta individualização de suas intervenções nos municípios onde atuam



EDUCAÇÃO & SOCIEDADE: revista de Ciências da Educação
Av. Berttrand Russel n°801 - Fac. de Educação - Anexo II 1° andar - sala 2 - Campinas, SP, Brasil - Cep. 13083 - 865, Fone/fax: + 55 19 3521-6710/6708 cedeseditoria@zeppelini.com.br