Sociedade Líquida-Reticular e a Emergência da Universidade Operacional no Contexto do Capitalismo Acadêmico

TIAGO FONSECA ALBUQUERQUE CAVALCANTI SIGAHI, PATRÍCIA SALTORATO

Resumo


Este artigo visa explorar como novas formas de capital e de organização da vida humana têm contribuído para a construção do fértil cenário para a consolidação de uma universidade operacional, competitiva e heterônoma dentro do contexto do Capitalismo Acadêmico. Para isso, inicialmente, realiza-se um paralelo entre o “Novo Espírito do Capitalismo” de Boltanski e Chiapello (2009), a “Sociedade em Rede” de Castells (1999) e a “Modernidade Líquida” de Bauman (2001), explorando questões relacionadas ao esfacelamento das relações humanas e de trabalho. Tendo como pano de fundo as questões levantadas por esses autores, busca-se entender as consequências dessas transformações para a universidade, retratando a Universidade Operacional (CHAUÍ, 2016) como uma expressão do mundo líquido-reticular. Por fim, busca-se analisar tais mudanças sob a perspectiva do Capitalismo Acadêmico (SLAUGHTER; LESLIE, 1997), explorando suas origens e expressões contemporâneas no Brasil; assim como as maneiras pelas quais uma rede de atores internos e externos à universidade têm se engajado no processo de redefinição das fronteiras entre o público e o privado. Espera-se que esse estudo possa contribuir para o avanço acerca do entendimento da situação atual da educação superior brasileira subsidiando o de(com)bate sobre a desconfiguração da universidade aprofundada no contexto de capitalismo acadêmico.



EDUCAÇÃO & SOCIEDADE: revista de Ciências da Educação
Av. Berttrand Russel n°801 - Fac. de Educação - Anexo II 1° andar - sala 2 - Campinas, SP, Brasil - Cep. 13083 - 865, Fone/fax: + 55 19 3521-6710/6708 cedeseditoria@zeppelini.com.br