Destinação de resíduos de serviços de saúde do subgrupo A4: política baseada em evidência ou em intuição?

Marcos Paulo Gomes Mol, Noil Amorim de Menezes Cussiol, Leo Heller

Resumo


A destinação dos resíduos de serviços de saúde – RSS representa uma discussão ampla e polêmica e o momento de revisão da RDC ANVISA n° 306/2004 é oportuno para ampliar este debate. As resoluções da ANVISA e do CONAMA (n° 358/2005) indicam disposição final dos RSS do subgrupo A4 em local licenciado para receber RSS. Diversas publicações científicas apontam para a falta de evidências que indiquem maiores riscos de determinada fração dos RSS se comparados aos resíduos domiciliares e que eles poderiam ter disposição final com base nos mesmos requisitos. A exigência de tratar previamente os resíduos do subgrupo A4 antes de serem aterrados, conforme defendem alguns, poderia sobrecarregar desnecessariamente os custos do processo e beneficiar economicamente alguns grupos.


Palavras-chave


Resíduos de serviços de saúde; disposição final



Prezado autor,
Nosso periódico migrou para uma nova plataforma de submissão de manuscritos - ScholarOne Manuscripts. A partir de hoje, novas submissões deverão ser feitas através do seguinte endereço:
https://mc04.manuscriptcentral.com/esa-scielo

ABES

Av. Beira Mar, 216 - 13º Andar - Castelo
20021-060 Rio de Janeiro - RJ - Brasil
esa@abes-dn.org.br