Descoloração do corante Azul Brilhante de Remazol R por leveduras isoladas de moluscos do Rio Subaé-BA

Liliane Andrade Sande da Silva, Juliana Mota de Oliveira, Elizabeth Maria Amélia Alves Duarte, Norma Suely Evangelista Barreto, Márcia Luciana Cazetta

Resumo


O lançamento de efluentes contendo corantes industriais em corpos d’água acarreta grande impacto ambiental. Assim, esse trabalho teve como objetivo analisar o potencial de descoloração do corante Azul Brilhante de Remazol R (RBBR) de leveduras isoladas de moluscos do rio Subaé-Bahia. Cinco leveduras identificadas como Pichia kudriavzevii OJU2, Candida cylindracea SJL6, Candida sp. SF5, Candida sp. SJ10 e Candida sp. SJU5 apresentaram capacidade de descolorir o RBBR por meio da biodegradação com taxas variando entre 80% e 93%, após 24 horas de incubação. As condições ótimas de descoloração foram pH ácido, 2% de glicose, 25 ppm do corante e 25 °C. Após os ensaios de toxicidade com Artemia salina, foi observada diminuição da toxicidade após o tratamento com os isolados Candida sp. SJ10 e Candida sp. SJU5 após 120 horas de incubação.

 


Palavras-chave


fungos, corante têxtil, biorremediação



Prezado autor,
Nosso periódico migrou para uma nova plataforma de submissão de manuscritos - ScholarOne Manuscripts. A partir de hoje, novas submissões deverão ser feitas através do seguinte endereço:
https://mc04.manuscriptcentral.com/esa-scielo

ABES

Av. Beira Mar, 216 - 13º Andar - Castelo
20021-060 Rio de Janeiro - RJ - Brasil
esa@abes-dn.org.br