Comportamento de voo de aves em resposta ao uso de sinalizadores em linhas de transmissão de energia elétrica

Larissa Donida Biasotto, Andre Barcelos-Silveira, Carlos Eduardo Quevedo Agne, Andreas Kindel

Resumo


Como consequência da ampliação do setor energético, e consequente instalação de novas linhas de transmissão de energia (LTs), as aves, além de sofrerem com a perda e fragmentação de habitat também estão expostas ao risco de morte por colisão com essas estruturas. Com o propósito de minimizar as colisões, sinalizadores de avifauna são ancorados nos cabos para-raios das LTs. Buscamos testar a eficiência dos sinalizadores por meio de observações da alteração no comportamento de voo das famílias taxonômicas de aves. Consideramos duas variáveis de risco - posição do voo de transposição da linha e distância em relação ao cabos – observadas em vãos sinalizados e não sinalizados de uma LT localizada no litoral norte do Rio Grande do Sul – Brasil. Realizamos o teste Qui- Quadrado (α = 0,05) para as duas variáveis de risco e para cada família em separado. Das famílias analisadas (n = 13), somente uma (Hirundinidae) apresentou alteração do comportamento de voo na presença dos sinalizadores. Apesar da sinalização dos cabos ser indicada como a medida mais apropriada para a mitigação dessas fatalidades, nossos resultados não revelaram isso quando avaliados em nível de família. No entanto, antes de abandonar essa estratégia de mitigação, sugerimos que os órgãos envolvidos no processo de licenciamento de linhas de transmissão estabeleça metodologias padronizadas e suficientemente robustas no monitoramento de avifauna para ajudar a determinar a efetividade ou não dos sinalizadores de avifauna.



Iheringia Série Zoologia

Museu de Ciências Naturais, Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul

Rua Dr. Salvador França, 1427, 90690-000 Porto Alegre, RS, Brasil

E-mail: iheringia-zoo@fzb.rs.gov.br