The importance of considering small-scale variability in macrobenthic distribution: spatial segregation between two fiddler crab species (genus Leptuca) (Decapoda, Ocypodidae)

Helio Herminio Checon, Tania Marcia Costa

Resumo


Definir a escala apropriada de um estudo é importante quando tentamos entender os padrões de distribuição em estudos de comunidade. Caranguejos chama-maré estão entre os organismos mais comuns que habitam os ambientes estuarinos, e apesar de possuírem uma ampla distribuição latitudinal, são limitados por alterações em temperatura, correntes e padrões dos ventos. Dessa forma, muitas espécies co-ocorrem em escala local, onde suas distribuições são influenciadas por variáveis como diâmetro do grão de sedimento, salinidade e nível de mare. Nosso objetivo foi testar a segregação intra e interespecífica em duas espécies similares de caranguejos chama-maré, que comumente são encontradas em co-ocorrência (Leptuca leptodactyla e Leptuca uruguayensis), em uma pequena escala (10 m²). Foi observada segregação interespecífica, com L. leptodactyla ocorrendo primariamente no nível superior em relação a linha de mare, e L. uruguayensis no inferior. Entretanto, esse padrão foi independente de gênero e estágio de desenvolvimento, uma vez que segregações intraespecíficas não foram registradas. Possíveis influências do nível de mare, teor de silte/argila e competição na segregação interespecífica são discutidas. Apesar de L. leptodactyla e L. uruguayensis terem sobreposição em ocorrência quando a zonação do entremarés é desconsiderada, elas segregam quando os níveis de mare são individualmente amostrados. Esse resultado destaca a importância de estudos em pequena escala para identificar padrões não observados em escala regional, mesmo quando nenhum gradiente ambiental é inicialmente observado.



Iheringia Série Zoologia

Museu de Ciências Naturais, Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul

Rua Dr. Salvador França, 1427, 90690-000 Porto Alegre, RS, Brasil

E-mail: iheringia-zoo@fzb.rs.gov.br