Bioindicadores do zooplâncton em reservatórios do estado de São Paulo

Bruno Paes De-Carli, Felícia Pereira Albuquerque, Viviane Moschini-Carlos, Marcelo Luiz Martins Pompêo

Resumo


As comunidades zooplanctônicas são importantes componentes na cadeia alimentar considerando os produtores primários e os demais níveis. Além disso, algumas espécies são sensíveis a poluição orgânica. Esse estudo teve como objetivo identificar os bioindicadores zooplanctônicos de qualidade da água em reservatórios do estado de São Paulo. Para isso, amostras foram coletadas através de arrasto vertical por meio de rede de plâncton (68 mm) em sete corpos d’água. Os espécimes foram identificados e contados em camâra de Sedgwick rafter. Os dados bióticos e abióticos foram analisados através da análise de correspondência canônica. Um total de 67 táxons foram encontrados, sendo Rotifera o mais predominante. No geral, os reservatórios apresentaram condições eutróficas, principalmente Salto Grande, Barra Bonita e Broa. Os resultados apontaram que os rotíferos Trichocerca longiseta, Hexarthra sp., Brachiounus spp. e Keratella tropica seguiram um gradiente de eutrofização. Além desses, microcrustáceos como Notodiaptomus, Mesocyclops, Metacyclops e Diaphanossoma ocorreram em reservatórios eutróficos. Por outro lado, os cládoceros Ceriodaphnia cornuta e Bosminopsis deitersi  foram considerados bons indicadores devido a relação com águas mais transparentes.



Iheringia Série Zoologia

Museu de Ciências Naturais, Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul

Rua Dr. Salvador França, 1427, 90690-000 Porto Alegre, RS, Brasil

E-mail: iheringia-zoo@fzb.rs.gov.br