Resfriamento de sementes de soja e qualidade fisiológica no armazenamento

Fabiano Carlos Ferreira, Francisco Amaral Villela, Géri Eduardo Meneguello, Vanessa Nogueira Soares

Abstract


O objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade fisiológica de sementes de soja, submetidas ou não ao resfriamento dinâmico e mantidas em armazém resfriado (AR) e não (ANR). Um lote de sementes de soja, variedade M7639RR, foi dividido em duas partes e cada uma dessas foi subdivida em três partes, cada uma submetida a um procedimento de resfriamento, resfriamento dinâmico a 13°C (SRE13) e a 17°C (SRE17) e sementes não resfriadas (SNRE). As sementes foram mantidas em um ANR e em AR a 20° C. Foram coletadas amostras em seis épocas (0, 45, 90, 135, 180 e 225 dias) e as sementes foram submetidas aos testes de germinação, tetrazólio, envelhecimento acelerado e emergência de plântulas em canteiro. O resfriamento artificial dinâmico a 13 ºC seguido de manutenção em AR a 20 ºC assegura a preservação da qualidade fisiológica de sementes de soja por até 225 dias. Sementes de soja submetidas ao resfriamento dinâmico a 13 °C preservam o vigor comparativamente às não resfriadas ou resfriadas a 17 °C, em ANR por 225 dias. O AR a 20 °C contribui para preservação da qualidade fisiológica da semente de soja, independentemente de a semente ser ou não submetida ao procedimento dinâmico.


Keywords


Glycine max; armazenamento, resfriamento artificial, germinação, vigor

Full Text:

PDF