Constituições e volumes de calda no tratamento industrial de sementes de soja e a qualidade fisiológica durante o armazenamento

Sheyla Ferreira dos Santos, Everson Reis Carvalho, Debora Kelli Rocha, Rodrigo Marques Nascimento

Abstract


O objetivo foi avaliar as constituições e volumes de calda no tratamento industrial de sementes de soja sobre a qualidade fisiológica durante o armazenamento. O delineamento foi inteiramente casualizado, em fatorial 20x4, sendo 20 combinações de tratamentos industriais de sementes e 4 períodos de armazenamento (0; 30; 90 e 150 dias), utilizou-se sementes de duas cultivares. As caldas foram combinações com fungicida e inseticida Standak top® (Fipronil + Piraclostrobina + Tiofanato Metílico), polímero L551Incontec® e água para obtenção dos volumes finais: 450; 700 e 1200 mL 100 kg de sementes-1, e controles com ausência de tratamentos. A qualidade fisiológica foi avaliada com germinação em areia e envelhecimento acelerado. Genótipos apresentam tolerâncias distintas ao tratamento industrial, volumes de calda e armazenamento. Tratamentos com Standak top®, polímero e água, volume de 1200 ml 100 kg sementes-1, e armazenamento por 150 dias em câmara fria não é prejudicial para a viabilidade do genótipo 1, para o 2, a tolerância foi de 90 dias de armazenamento. Volumes de caldas elevados, principalmente aquosas, prejudicam o vigor durante o armazenamento, aos 90 dias com 1200 ml 100 kg sementes-1 para o genótipo 1 e aos 30 dias com 700 ml 100 kg sementes-1 para o 2.

Keywords


Tratamento industrial de sementes, armazenamento, germinação, vigor, soja.

Full Text:

PDF