Germinação de sementes de melão sob estresse hídrico e térmico

Daniel Teixeira Pinheiro, Denise Cunha Fernandes dos Santos Dias, Joyce de Oliveira Araújo

Abstract


O vigor das sementes pode influenciar seu desempenho sob condições de estresse. Objetivou-se avaliar a influência do estresse hídrico e térmico na germinação e desempenho das plântulas de melão e verificar se a germinação sob condições de estresse é eficiente para avaliação do vigor destas sementes. Quatro lotes de melão ‘Golden Mine’ foram caracterizadas quanto à qualidade inicial pelos testes de germinação, primeira contagem, envelhecimento acelerado e emergência de plântulas. A germinação sob estresse hídrico foi realizada em papel umedecido com solução de PEG 6000 a 0,0; -0,3; -0,6 e -0,9 MPa. Foram avaliadas a porcentagem e velocidade de germinação, comprimento e massa seca de plântulas. Para avaliação do estresse térmico, utilizaram-se os testes de frio e de germinação à temperatura sub (15 ºC) e supra ótima (35 ºC), além da germinação sob temperatura ideal (25 ºC).  A germinação das sementes de melão sob estresse hídrico induzido por PEG 6000 a -0,3 e -0,6 MPa é eficiente para detectar diferenças no potencial fisiológico de lotes de sementes de melão, mas estas diferenças desaparecem sob estresse hídrico severo (-0,9 MPa). A geminação sob temperaturas sub-ótimas também permite identificar diferenças no desempenho das sementes e classificá-las quanto ao nível de vigor.

Full Text:

PDF