Acelerações e interrupções, os acertos de rumo narrativo em “O alienista” de Machado de Assis

Carlos Pires

Resumo


O artigo busta fazer uma leitura da novela “O alienista”, do livro “Papéis avulsos” (1883) de Machado de Assis, atenta às relações entre o narrador e a matéria que ele escolhe narrar com o intuito de buscar compreender as diferentes perspectivas que ele assume ao longo do texto. Esse movimento do narrador, ou a maneira como Machado de Assis o constitui nessa novela, é algo bastante revelador de como o autor precisou reconsiderar suas concepções sobre literatura e sobre o processo social do país nesse livro de contos inaugural da sua maturidade literária. 


Referências


ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008

ASSIS, Machado. Obra completa, volume II. Rio de Janeiro: Ed. José Aguiar LTDA., 1959.

Chalhoub, S. Visões da liberdade : uma história das últimas décadas da escravidão na Corte. São Paulo: Companhia das letras, 2011.

________________. Machado de Assis, historiador. São Paulo, companhia das letras, 2003.

GLEDSON, John. Por um novo Machado de Assis: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas. São Paulo: Duas Cidades, Ed. 34, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade de São Paulo

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Av. Prof. Luciano Gualberto, 403, sala 38.

CEP: 05508-900, São Paulo, SP - Brasil

machadodeassis.emlinha@usp.br