Violência contra a mulher, casas-abrigo e redes sociais: revisão sistemática da literatura

Scheila Krenkel, Carmen Leontina Ojeda Ocampo Moré

Resumo


Este estudo teve como objetivo caracterizar a produção científica de artigos empíricos sobre casas-abrigo e redes sociais no contexto da violência contra a mulher. Buscaram-se artigos publicados entre 2004 e 2015, no Portal de Periódicos da CAPES. Os descritores utilizados foram shelter e “social networks”, combinados com violence against women e suas variações: “domestic violence” / “gender violence”. De 1536 estudos encontrados, 33 atenderam aos critérios de inclusão estabelecidos e foram organizados em duas categorias temáticas. Os resultados mostraram aspectos positivos da passagem das mulheres pela casa-abrigo, como o apoio oferecido pelos profissionais, além de aspectos dificultadores após a saída do local, principalmente em relação à geração de trabalho e renda. As redes sociais foram apontadas como um importante recurso no enfrentamento da violência, sobretudo pelo apoio da família de origem e das relações de amizade. Com base nos resultados e limitações apontados nos estudos, sugere-se o desenvolvimento de novas pesquisas que que problematizem a interrelação das práticas profissionais realizadas em casas-abrigo e o acompanhamento das mulheres após saírem do local, assim como, aprofundar a análise dos vínculos afetivos que sustentam às funções das pessoas que constituem as redes sociais configuradas.


Palavras-chave


violência contra a mulher; redes sociais; revisão de literatura; abrigo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.