Dificuldades vivenciadas pelas mães na hospitalização de seus bebês em Unidades Neonatais.

Leidimara Cristina Zanfolim, Ednéia Albino Nunes Cerchiari, Fabiane Melo Heinen Ganassin

Resumo


A hospitalização de um bebê altera o equilíbrio familiar, que necessita se reorganizar em torno da recuperação do recém-nascido. A mãe normalmente é o membro da família que acompanha o bebê no hospital. Desse modo, este estudo se propôs a descrever os sentimentos e dificuldades que as mães vivenciam durante a hospitalização do seu filho, por meio de um estudo qualitativo, com abordagem de pesquisa-ação, tendo como cenário o setor de Neonatologia do Hospital Universitário da UFGD, na cidade de Dourados MS. Para coleta de dados, foram realizadas anotações em diário de campo e 12 encontros de mães na modalidade de Grupo Operativo, idealizado pelo psicanalista Pichón-Riviére. O período da coleta foi de 22 de fevereiro a 11 de maio de 2016, o encerramento ocorreu por saturação dos dados coletados e realizou-se a análise de conteúdo de Bardin.  A amostra foi constituída por 52 mães. Os resultados foram divididos em três categorias: i) instituição hospitalar; ii) profissionais de saúde e; iii) família. Portanto é importante entender que o sofrimento das mães vai além de questões relacionadas à patologia do bebê, sendo necessário investir em estrutura física e em organização adequada para permanência delas, em capacitação das equipes, assim como centrar os cuidados nas famílias, e não só nos pacientes. 


Palavras-chave


família; acolhimento; hospital; equipe.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.