TRABALHO E ADOECIMENTO PSICOSSOMÁTICO: reflexões sobre o problema do nexo causal

LAIS DI BELLA CASTRO RABELO, Julie Micheline Amaral Silva, Maria Elizabeth Antunes Lima

Resumo


O artigo discute a pertinência da relação entre fatores patogênicos na organização de trabalho e o desenvolvimento de doenças psicossomáticas em trabalhadores, bem como os limites teóricos e metodológicos que envolvem a temática. Para tanto, apresenta o caso de uma trabalhadora do setor de teleatendimento que, em perícia na justiça do trabalho, recebeu hipótese diagnóstica de Episódio Depressivo associado a um Transtorno de Somatização com desenvolvimento de doença autoimune, Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES). Através de um paralelo entre a literatura específica e estudos de caso sobre Saúde Mental e Trabalho, propõe-se uma reflexão acerca das consequências da vivência do estresse laboral na saúde física e mental dos trabalhadores, especialmente sobre suas reverberações no sistema imunológico. Conclui-se por uma possível relação entre o adoecimento apresentado pela trabalhadora em questão e as exigências impostas pelo seu trabalho. Ressalta também a necessidade de mais estudos visando compreender melhor a passagem entre uma dada experiência de vida e a emergência de uma patologia específica.

Palavras-chave


Saúde Mental e Trabalho, Psicossomática, Estresse

Apontamentos

  • Não há apontamentos.