Identidade, drogas e saúde mental: narrativas de pessoas em situação de rua

Jéssica Silva Rodrigues, Aluísio Ferreira de Lima, Renata Bessa Holanda

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo discutir como pessoas que vivem em situação de rua e que fazem uso abusivo de drogas lidam com os processos de exclusão social aos quais estão submetidos, observando de que forma os personagens que representam repercutem no reconhecimento de suas identidades. Para tanto, seguindo o critério de saturação de sentido, foram utilizadas as narrativas de dois sujeitos que viviam em situação de rua no centro de Fortaleza (CE) e que faziam o uso de drogas. Na análise dessas narrativas foram utilizadas as proposições apresentadas por Ciampa (1987), Lima (2010) e Ciampa & Lima (2012), sobretudo aquelas relacionadas à concepção de identidade enquanto metamorfose, personagem e as categorias mesmice, mesmidade e reconhecimento. Assim, no estudo pode-se perceber o impacto das formas de reconhecimento experienciadas pelos sujeitos entrevistados na constituição de suas identidades, bem como as repercussões dos estigmas enfrentados pelos mesmos na representação cotidiana das personagens “pessoa em situação de rua” e “usuário de drogas”. Por fim, as rupturas dos personagens nos processos de mesmice e a dificuldade de lidar com novos personagens nos movimentos da mesmidade são discutidas, além de reflexões sobre  as identidades pressupostas atribuídas a essas duas personagens, que criam limitações nas relações dessas pessoas com os trabalhadores dos serviços de saúde mental e acabam reproduzindo as formas de exclusão vivenciadas pelos mesmos.


Palavras-chave


Psicologia social; identidade; uso de drogas; pessoas em situação de rua; saúde mental

Apontamentos

  • Não há apontamentos.