Mulheres e homens jovens:  gozos e interdições, poder e desigualdades.

karla Galvão Adrião, Jaileila de Araujo, Raissa Falcao, Leyllyanne Bezerra

Resumo


Este artigo discute sobre as relações de poder e desigualdade que atravessam os modos de subjetivação de homens e mulheres jovens participantes de um projeto de pesquisa-intervenção em um território em “desenvolvimento econômico”. Referenciamo-nos nos campos da Psicologia Social e das Teorias Feministas e de Gênero Pós-Estruturais, em uma perspectiva teórico-metodológica de trabalho com grupos. Analisamos dois recortes temáticos de oficinas sobre sexualidade e sociabilidade/trabalho-lazer. Os sentidos sobre sexualidade ganharam forte conotação de gênero, com destaque para o uso da qualificação moral “safadeza” quando a dinâmica sexual das mulheres rompe com o comportamento de comedimento. Tais desigualdades atravessaram também os sentidos sobre trabalho-lazer; os homens são posicionados como aqueles que merecem gozar de tempo livre. Apesar da aparente rigidez, outros sentidos ligados às dinâmicas de gênero foram construídos pelo grupo, o que tornou possível a produção de posicionamentos mais críticos e subversivos.

Palavras-chave


juventude; teorias feministas; gênero; sexualidade; sociabilidade.

Texto completo:

PDF


Associação Brasileira de Psicologia Social www.abrapso.org.br