Os impactos subjetivos dos fluxos migratórios: um estudo sobre os haitianos residentes na Grande Florianópolis (SC)

Marcela Andrade Gomes

Resumo


Este artigo visa relatar uma pesquisa de campo realizada com haitianos que migraram para Florianópolis (SC). A partir de um estudo qualitativo, buscou-se investigar as narrativas e modos de vida destes sujeitos que, em geral, buscaram na migração uma estratégia de sobrevivência frente às múltiplas formas de violação de direitos os quais se encontravam em seu país de origem. A dificuldade com o idioma, a saudade, as perdas familiares e comunitárias, o preconceito, a exaustão pelo excessivo trabalho e a dificuldade de fazer laço social significativo com brasileiros(as) foram alguns dos aspectos detectados no campo desta pesquisa. Salienta-se a importância que a psicologia social possui na luta pelo direito de migrar, produzindo pesquisas visem construir olhares mais complexos e menos estereotipados sobre a migração e, ainda, criando intervenções psicossociais que busquem minimizar as vulnerabilidades, restaurando o lugar de direito e desejo do imigrante.

Palavras-chave


migração; haitianos; direitos humanos

Texto completo:

PDF


Associação Brasileira de Psicologia Social www.abrapso.org.br