As controvérsias sócio-históricas das práticas farmacológicas com o metilfenidato

Nathalia Domitrovic, Luciana Vieira Caliman

Resumo


O metilfenidato, principal substância utilizada no tratamento farmacológico do Transtorno do Défict de Atenção e Hiperatividade (TDAH), é atualmente o psicoestimulante mais consumido no mundo e assunto constante na mídia e nas produções científicas em Psicologia e Psiquiatria. Neste artigo, discutimos alguns elementos do discurso científico sobre este medicamento, nos servindo de elementos históricos, ricos em controvérsias, para propor sua emergência como problema, conforme indica Foucault. Assim, analisamos a diversidade de sentidos e práticas que envolvem o tema, desde a síntese das primeiras anfetaminas em laboratório, no início do século XX, até o momento atual, em que o metilfenidato é reconhecido como principal via de tratamento do TDAH, alcançando altíssimas taxas de consumo ao redor do planeta. Por fim, são apontadas algumas questões pertinentes ao contexto brasileiro, principalmente no que se refere às políticas públicas de saúde.

Palavras-chave


Metilfenidato; TDAH; Medicalização

Texto completo:

PDF


Associação Brasileira de Psicologia Social www.abrapso.org.br