Produção da precariedade laboral: criação de novas formas de subjetivação

Anelise Schaurich dos Santos, Cláudia Maria Perrone

Resumo


A precarização laboral não se restringe a intensificação do ritmo de trabalho, a diversificação das tarefas, a adoção de novas formas de gestão, as terceirizações e as privatizações. Mais do que isso, cria novas formas de subjetivação. O objetivo deste estudo é problematizar a produção subjetiva da precarização laboral. Foi analisado o caso de uma mulher de 30 anos, que solicitou demissão de uma instituição financeira após desenvolver Síndrome do Pânico. Esta pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso de caráter qualitativo, exploratório-descritivo e transversal. No caso apresentado, a participante opta por realizar um trabalho precário após deixar o seu antigo emprego. Entende-se a escolha pelo trabalho precário não significou a vitória do desejo de desfrutar o seu próprio trabalho, mas a simples necessidade de manter a subsistência material. Concluiu-se que é necessário aprofundar a questão da produção subjetiva de precarização, buscando entender possíveis modos de resistência a essa.

Palavras-chave


Condições de trabalho; Subjetividade; Estudo de caso.

Texto completo:

PDF


Associação Brasileira de Psicologia Social www.abrapso.org.br