Raízes do Brasil e o ensaio histórico brasileiro: da história filosófica à síntese sociológica, 1836-1936

Fernando Nicolazzi

Resumo


Este artigo propõe uma análise da história da historiografia brasileira entre a década de 1830 e a de 1930, situando o livro de Sérgio Buarqe de Holanda Raízes do Brasil (1936) na tradição dos ensaios de interpretação histórica que caracterizaram as primeiras décadas do período republicano. Sugere-se a hipótese, pautada nos estudos de Arnaldo Momigliano e Reinhart Koselleck, de que entre as condições de emergência desta tradição estão as relações entre a erudição crítica, definidora do método histórico, e a intenção sintética, característica da filosofia da história moderna. Nesse sentido, a partir de fontes variadas, o estudo segue o movimento que conduziu as reflexões sobre a história no Brasil, da vizinhança com a filosofia até as formas de aproximação com as ciências sociais, acompanhando a passagem do modelo da história filosófica para o da síntese sociológica, no qual podem ser inseridos os ensaios históricos.

Palavras-chave


História da historiografia brasileira, ensaio histórico, Raízes do Brasil



Av. Professor Lineu Prestes, 338
Cidade Universitária
Caixa Postal 8105
05508-900 São Paulo SP Brazil
Tel. / Fax: +55 11 3091-3047
e-mail: rbh@anpuh.org