Fundamentos epistemológicos da matriz institucional dos novos modelos de Educação Superior no Brasil: uma abordagem qualitativa dos documentos institucionais da Universidade Federal do ABC (UFABC)

Manuel Tavares, Sandra Rosa Gomes

Resumo


Nos países outrora chamados de terceiro mundo, hoje apelidados países emergentes e ou países periféricos e semiperiféricos, surgem experiências inovadoras, de caráter contra-hegemônico, cujos projetos de educação superior se situam numa perspectiva de equidade e justiça sociais incluindo os grupos sociais historicamente marginalizados e afastados do direito à educação superior. O texto que se apresenta pretende desvelar e refletir sobre a estrutura institucional que sustenta um novo modelo de educação superior, no Brasil, particularmente na Universidade Federal do ABC paulista (UFABC). Os processos de democratização dos países, acompanhados de políticas direcionadas para o investimento em novas instituições de educação superior, permitiu uma diversidade considerável no que diz respeito aos novos públicos estudantis. As universidades, tradicionalmente reservadas às elites, abriram-se a novos estudantes, quer no que diz respeito às dimensões de gênero, etnia, classe social e mesmo de gerações diferentes. Esta abertura criou desafios e expectativas no que diz respeito à democratização da educação superior, à inclusão da diversidade cultural e epistemológica, à promoção da interculturalidade e à descolonização das relações de poder e de conhecimento. (QUIJANO, 2005, 2009; MIGNOLO, 2003, 2010; WALSH, 2012, 2013; SANTOS, 2001, 2004; 2008; 2009). Algumas políticas de experimentação institucional merecem referência particular. No Brasil, a ação dos governos pós-neoliberais de Lula e Dilma (SADER, 2013) também se centrou na criação de universidades populares, apresentando perfis diferenciados e respondendo a objetivos específicos de ação política. A primeira delas foi a Universidade Federal do ABC (UFABC), cuja matriz institucional constitui objeto do nosso estudo. Centrar-nos-emos, numa primeira fase, numa pesquisa documental de caráter qualitativo utilizando a análise de discurso na perspectiva de N. Fairclough (2001) com o objetivo de inferir as linhas estruturantes do novo modelo de educação superior com foco específico nos fundamentos conceituais, no modelo pedagógico e nos princípios reguladores da prática pedagógica. Sendo um novo modelo de educação superior que promove a interdisciplinaridade, a inclusão da diversidade social, cultural e epistemológica tendo em vista a promoção da justiça cognitiva, pretendemos saber quais os fundamentos epistemológicos que sustentam a matriz institucional da Universidade Federal do ABC e que regulam toda a atividade académica da instituição e suas relações com a sociedade. Outras questões derivantes surgem, sobretudo, em relação aos princípios do modelo pedagógico da instituição, a interdisciplinaridade e a inclusão social.
Palavras-Chave: Fundamentos conceituais; modelo pedagógico; educação superior; educação superior contra-hegemônica.

Palavras-chave


Fundamentos conceituais; modelo pedagógico; educação superior; educação superior contra-hegemônica.



EDUCAÇÃO & SOCIEDADE: revista de Ciências da Educação
Av. Berttrand Russel n°801 - Fac. de Educação - Anexo II 1° andar - sala 2 - Campinas, SP, Brasil - Cep. 13083 - 865, Fone/fax: + 55 19 3521-6710/6708 cedeseditoria@zeppelini.com.br