MARX, EUGÈNE BURET E A INSTITUIÇÃO SALARIAL

O TRABALHO NOS MANUSCRITOS DE 1844

Autores

  • Wanderson Ferreira Alves Universidade Federal de Goiás. Programa de Pós-Graduação em Educação

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir o estatuto do trabalho nos Manuscritos Econômico-Filosóficos de 1844 e suas implicações no desenvolvimento político-intelectual de Marx. Trata-se de um estudo teórico, cujo objeto é o tema do trabalho-mercadoria no século XIX e o desenvolvimento da concepção de trabalho na obra de Marx. Para tanto, juntamente com o apoio de uma bibliografia de base sobre o tema, recorre ao exame de alguns aspectos da concepção de trabalho ao longo do desenvolvimento do pensamento de Marx e procura relacioná-los com as questões trazidas por Eugène Buret a respeito do estatuto mercantil do trabalho. O estudo evidencia a constituição de conceitos fundamentais em Marx, as dificuldades de cernir o que se apresentava sob a rubrica de “trabalho” e alguns de seus impasses.

Palavras-chave: Marx. História econômica. Economia política. Força de trabalho. Trabalho assalariado.

Biografia do Autor

Wanderson Ferreira Alves, Universidade Federal de Goiás. Programa de Pós-Graduação em Educação

Doutor em Educação. Professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás, onde ensina Política Educacional.

Publicado

2022-04-05